C# - Dicas para aumentar melhorar seu código e sua produtividade


Hoje temos 10 dicas práticas para aumentar sua produtividade e tornar o seu código mais legível e enxuto.

1- O operador de avaliação condicional - ?:

O operador condicional (:?) avalia uma expressão booleana e retorna um dentre dois valores.

O formato do operador (:?) é o seguinte:


condição ? primeira_expressão : segunda_expressão

Se a condição for verdadeira, a primeira expressão é avaliada e se torna o resultado, se falsa, a segunda expressão é avaliada e se torna o resultado. Apenas uma das duas expressões é sempre avaliada.

Abaixo temos um exemplo mostra como podemos usar o operador para reduzir a quantidade de código escrita:

       static void Main(string[] args)
        {
            int x = 10;
            int y = 20;
            int maximo;

      
     if (x > y)
                maximo = x;
            else
                maximo = y;


            Console.WriteLine(" Máximo = " + maximo);
            Console.ReadKey();
        }
       static void Main(string[] args)
        {
            int x = 10;
            int y = 20;
            int maximo;

          
 maximo = (x > y) ? x : y;

            Console.WriteLine(" Máximo = " + maximo);
            Console.ReadKey();
        }

A seguir um exemplo que verifica se uma variável é null : Ex: Valor == null ? ValorSeForNull : ValorSeNaoForNulll;

2- O operador ??

Sintaxe: variável ?? valor padrão

O operador ?? retorna o operando à esquerda da expressão se o valor não for nulo; se o valor for nulo ele retorna o operando à direita da expressão.

object a = null;
object d = new object();
object e;
 
if (a != null)
    e = a;
else
   e = d;
object a = null;
object d = new object();
object e;
 
object e = c ?? d;

Abaixo temos um exemplo mais prático:

string mensagem = null;
Console.WriteLine(mensagem ?? "Macoratti.net");

Como mensagem possui um valor null será exibida a mensagem "Macoratti.net" definida após o operador ??.

Vamos agora combinar a utilização dos dois operadores:

string conceito = null ;
int nota = 5;
string resultado = "";

resultado = nota >= 5 ? conceito ?? " Aprovado " : " Reprovado ";
Console.WriteLine(resultado);

O que será exibido ???

O operador ? irá verificar se a expressão nota >= 5 é verdadeira, neste caso, a primeira expressão será avaliada:

conceito ?? " Reprovado "

Nesta expressão temos o operador ?? e como o valor da variável conceito é null então será exibida a string " Aprovado ";

3- Inicializadores de objetos

Depois de criar um novo objeto muitas vezes você tem que atribuir as suas propriedades. A partir da versão 3.0 da plataforma .NET a linguagem C# torna possível usar os inicializadores de objeto para melhorar a legibilidade e gerar menos código.

Vejamos como utilizar este recurso:

 Cliente mac = new Cliente();
 mac.Nome = "Macoratti";
 mac.Endereco = "Rua Projetada 100";
 Console.WriteLine(mac.Nome + " - " + mac.Endereco);
Cliente mac = new Cliente { Nome="Macoratti", Endereco = "Rua Projetada , 100" };
Console.WriteLine(mac.Nome + " - " + mac.Endereco);
Código Padrão Usando inicializadores de objetos

4- A instrução Using

Muitas vezes você terá de alocar um recurso do sistema, como uma fonte, um identificador de arquivo, um recurso de rede, um banco de dados,etc.

Cada vez que você precisar desse recurso há três etapas fundamentais para percorrer:
1- Você adquire o recurso;
2- Você usa o recurso;
3- Você libera o recurso;

Se você não liberar o recurso usado de forma correta, você estará ocupando memória desnecessariamente e dependendo do cenário poderá ter problemas com vazamento de memória.

Um exemplo que mostra bem o uso da instrução Using é a utilização de um banco de dados relacional como o SQL Server. Veja o exemplo a seguir:

SqlConnection connection = new SqlConnection(connectionString);
SqlCommand command = connection.CreateCommand();

command.CommandText = "mac_GetValue";
command.CommandType = CommandType.StoredProcedure;

object ret = null;

try
{
    connection.Open();
    ret = command.ExecuteScalar();
}
finally
{   //verifica se a conexão esta em uso para liberar
    if (connection != null)
        connection.Close();
}
using (SqlConnection connection = new SqlConnection(connectionString))
{
SqlCommand command = connection.CreateCommand();

command.CommandText = "mysp_GetValue";
command.CommandType = CommandType.StoredProcedure;

connection.Open();
object ret = command.ExecuteScalar();
}
// libera os recursos

Código padrão

Usando a instrução Using

No trecho de código com a instrução Using a conexão será fechada quando o objeto sai do escopo. Esse processo é feito da maneira orientada a objeto - através da implementação de uma interface. A interface IDisposable.

Isto implica que apenas os objetos que implementam IDisposable podem ser usado em uma instrução using. Também é importante notar que chamar Dispose explicitamente (ou implicitamente através de uma declaração using) trás benefícios em termos de desempenho.

5- Usando aliases para tipos e namespaces extensos

Os nomes de identificadores C# podem ficar muito extensos, e, isso dificulta a digitação e aumenta a chance de erros.

Ao usar uma diretiva alias você introduz um identificador que serve como um alias para um Namespace ou tipo dentro da unidade de compilação imediatamente envolvente ou corpo do namespace. Vejamos alguns exemplos:

Se você estiver fazendo a automação do Microsoft Office você pode querer fazer algo simples como abrir o MS Word e alterar um documento. Você pode usar a instrução "using" para criar um alias para uma classe ou um namespace conforme o exemplo abaixo:


using Outlook = Microsoft.Office.Interop.Outlook;
using Word = Microsoft.Office.Interop.Word;

Word.Application = new Word.Application() { Visible = True; }

A sintaxe da diretiva usando um pseudônimo exige a utilização da palavra-chave using e o do sinal igual ( = ). No exemplo a seguir vamos mapear o tipo 'Texto' para o tipo System.Text.StringBuilder:

using System;
using Texto = System.Text.StringBuilder;

class Program
{
    static void Main()
    {
        Texto palavra = new Texto();
        palavra.Append("sparky");
        palavra.Append(100);

        Console.WriteLine(palavra);
    }
}

Obs: Este recurso deve ser usado com atenção e cuidado para não tornar o código confuso e difícil de entender.

6- Nullabe Types ou Tipos Anuláveis

Existem situações, especialmente quando se trabalha com bases de dados, onde você quer indicar que uma variável não detém atualmente um valor válido. Para tipos de referência, você pode fazer isso com facilidade definindo a variável para null.

Os nullabe Types ou Tipos Anuláveis permitem que você crie um tipo por valor que pode ser marcado como válido ou inválido de forma que você tenha certeza que a variável seja válida antes de ser usada.Tipos de valores regulares são chamados de tipos não anuláveis.

Obs: Tipos anulável são instâncias da struct System.Nullable .

Um tipo anulável é sempre baseado em outro tipo, chamado tipo subjacente, que já foi declarado e sobre os quais temos que:

Por exemplo, o código a seguir declara uma variável do tipo int anulável. Observe que o sufixo é anexado ao nome do tipo, não ao nome da variável.

int? meuInteiro = 28;

Com essa instrução de declaração, o compilador cuida de ambas produzindo o tipo anulável e criando uma variável desse tipo.

Veja a seguir mais exemplos de tipos anuláveis:

int? i = 10;
double? d1 = 3.14;
bool? flag = null;
char? letter = 'a';
int?[] arr = new int?[10];

Obs :Os tipos Anuláveis também podem ser declarados da seguinte forma:  System.Nullable<T> variável Exemplo:System.Nullable<int> x = 9;

Atenção !!!  Usar um tipo anulável é como usar uma variável de qualquer outro tipo.

7- Propriedades Automáticas

A partira da versão 3.0 a linguagem C# introduziu as propriedades automáticas. Uma propriedade é constituída basicamente de variável privada, que é exposta ao mundo exterior através de getters e setters. O exemplo a seguir mostra isso:

    public class Pessoa
    {
        private string _nome;
        public string Nome
        {
            get { return _nome; }
            set { _nome = value; }     
        }
        private string _email;
        public string Email
        {
            get { return _email; }
            set { _email = value; }     
        }
    }

Usando as propriedades automáticas podemos reduzir o código acima para:

    public class Pessoa
    {
        public string Nome { get; set; }
        public string Email { get; set; }
    }

O compilador C # gera automaticamente uma variável de apoio e as propriedades corretas get e set.

E daí ??

E daí que definindo a variável como uma propriedade vai permitir a você adicionar a lógica de validação para sua classe, numa fase posterior. Como assinatura na memória da classe não vai mudar o que significa que quaisquer bibliotecas externas compiladas com o seu código não terão que ser recompiladas.

8- Inferência de tipos

Na linguagem C# temos sempre o cuidado de definir nossas definições de variáveis. Ex: string _meuSite = “www.macoratti.net”;

Analisando a declaração parece óbvio que o tipo da variável só pode ser uma string.

De forma clara e sem rodeios, a inferência de tipos (local variable type inferencing) significa dizer que o compilador é capaz de 'adivinhar' o tipo de dados de uma variável. É o sonho de todo o programador : não precisar se preocupar mais em declarar variáveis... mas como é que isso funciona ??

Para explicar esse recurso vou usar um trecho de código do LINQ, veja:

var numeros = new int[] { 218, 7, 1, 14, 6, 3, 15, 8, 74, 81, 94 };
var numerosImpares = from p in numeros where (p % 2) != 0 select p;

foreach (var valor in numerosImpares)
{
Console.WriteLine(val + " ");
}
Console.ReadKey();

No IDE do Editor do Visual C# 2010 Express Edition  podemos identificar as variáveis usadas no código acima. Assim temos que:

1- A primeira variável var do código acima pode ser identifica como sendo do tipo int32[];
2- A segunda variável var do código acima pode ser identifica como sendo do tipo IEnumerable<out T>;
2- A variável números usada na sintaxe LINQ é do tipo int[];
3- A variável valor usada no laço For/Each é do tipo int32;

Agora uma pergunta sutil.

Onde declaramos estas variáveis ?

Em lugar nenhum.

Mas então como é que o danado do compilador consegue 'adivinhar' o tipo das variáveis ?

Nas versões anteriores do Visual Basic poderíamos até declarar um valor a uma variável sem definir o tipo mas a variável seria considerada do tipo Object. Assim, no código abaixo, as variáveis a e b seriam identificadas como do tipo Object:

Dim a = 100
Dim b = DateTime.Now()

9. Lambda Expressions

A versão 2.0 da linguagem C# introduziu os métodos anônimos, que são métodos definidos dentro de um método.

Este recurso embora poderoso sendo uma boa maneira de colocar todos os tipos de avaliação lógica dentro do seu código que tinha a desvantagem de não serem muito legíveis. Ex: Func filtro = delegate(int a) { return a > 35; };

As expressões lambdas tornam o código mais fácil de ler mantendo a mesma funcionalidade. Para o exemplo acima temos:

As expressões lambda foram incluídas na plataforma .NET para dar suporte a consultas LINQ onde as cláusulas Where são assim compiladas como expressões lambdas. Elas podem ser consideradas uma forma de delegate que pode passar ou retornar outra função.

Nota: Delegates permitem que uma classe use métodos de outra classe. Para saber mais sobre delegates leia o meu artigo: Usando Delegates

Assim, as expressões lambdas são funções ou rotinas, sem nome, que calculam e retornam um valor único; elas podem ser usadas em qualquer lugar que um tipo delegate for válido.

A seguir veremos alguns cenários, a utilização das expressões lambdas , a abordagem tradicional e o resultado:

Cenário

Usando Expressões lambdas

Usando a abordagem tradicional

Resultado
Ordenação Ascendente For Each item In Numeros.OrderByDescending(Function(i) i)
     Console.WriteLine(item)
Next
Numeros.Sort(Function(x As Integer, y As Integer) y.CompareTo(x)) 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10
Verificar um condição
(verifica os números da 
lista são menores que 11)
Dim resultado As Boolean = Numeros.All(Function(i) i < 11) Dim resultado As Boolean = True
For Each i As Integer In Numeros
    If i >= 100 Then
         resultado = False
    End If
Next
True
Verificar um condição
(verifica um número da lista é igual a 5 )
Dim resultado As Boolean = Numeros.Any(Function(i) i = 5) Dim resultado As Boolean = True
For Each i As Integer In Numeros
    If i = 5 Then
         resultado = True
    End If
Next
True
Obter os 4 números do topo da Lista
Dim subconjunto = Numeros.Take(4)

For Each item In subconjunto
      Console.WriteLine(item)
Next
Dim subconjunto = New List(Of Integer)()
For i As Integer = 0 To 4
    If i < Numeros.Count Then
        subconjunto.Add(i)
     End If
Next
1,9,7,4
Fazer a ordenação ascendente, pegar os números menor que 8 e pegar os 5 números da lista
Dim resultado = _
Numeros.OrderByDescending(Function(i) i).Where(Function(i) i < 8).Take(5)

For Each item In resultado
    Console.WriteLine(item)
Next

Numeros.Sort(Function(x As Integer, y As Integer) y.CompareTo(x))

Dim resultado As New List(Of Integer)()
For Each i As Integer In Numeros
  If i < 8 Then
      If resultado.Count < 5 Then
           resultado.Add(i)
       End If
   End If
Next
7,6,5,4,3
Localizando itens Dim numero As String = Numeros.Find(Function(p) p = 6) For Each i As Integer In Numeros
  If i = 6 Then
           console.Writeline(i)
   End If
Next
6

10. Usando string.IsNullOrEmpty

Este recurso é um biblioteca de função de grande utilidade.

Quantas vezes você precisa testar se uma string está vazia ? Ou nula ?

O método string.IsNullOrEmpty retorna true se este for o caso.

O método String.IsNullOrEmpty indica se a String especificada é uma referência nula (Nothing no Visual Basic) ou uma string Empty (vazia).

        static void Main(string[] args)
        {
            string s1 = "abcd";
            string s2 = "";
            string s3 = null;

            Console.WriteLine("String s1 {0}.", Teste(s1));
            Console.WriteLine("String s2 {0}.", Teste(s2));
            Console.WriteLine("String s3 {0}.", Teste(s3));
            Console.ReadKey();
        }

         public static String Teste(string s)
         {
            if (String.IsNullOrEmpty(s))
                return "é null ou empty";
            else
                return String.Format("(\"{0}\") é not null ou empty", s);
         }

Uma última dica: Bom senso e boas práticas sempre resultam em um bom trabalho.

Romanos 2:12 Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados.
Romanos 2:13
Pois não são justos diante de Deus os que só ouvem a lei; mas serão justificados os que praticam a lei

Referências:

José Carlos Macoratti