Diagramação de software - D.F.D


Existem diversas formas de diagramar um projeto de software: fluxogramas , DFD e DER.  Neste artigo irei abordar as técnicas D.F.D - Diagrama de fluxo de dados e D.E R - Diagrama Entidade Relacionamento com o objetivo dar as noções básicas para quem esta começando agora e deseja ser um programador. Vou começar com o D.F.D.

1- D.F.D - Diagrama de fluxo de dados

O D.F.D é uma técnica usada na programação estruturada de diagramação de software que possui diversos tipos de diagramas, derivando-se em outros diagramas subsequentes.

Assim um D.F.D representa:

  1. Imagem do sistema, projeto ou produto;

  2. Modelo de organização;

  3. apresentação em etapas com aumento gradativo de detalhes;

  4. utilização dos princípios da modularização e da hierarquização.

Assim, podemos ter diversos níveis de D.F.D de forma a representar o fluxo de dados da aplicação.

a) D.F.D nível 0  - Apresenta uma visão clara do produto com todos os macro-processos, com entidades externas, fluxo de dados e depósito de dados principais.

b) D.F.D nivel 1 - È uma expansão do nível zero com mais detalhes e mais completo incluindo o tratamento de exceções.

Simbologia do D.F.D

A seguir temos uma das possíveis simbologias usadas na representação D.F.D:

- Entidades Externas

  • São categorias lógicas de objetos ou pessoas que representam Origem ou destino de dados, e, que acionam um sistema e/ou recebem informações;
  • Podem ser pessoas, sistemas ou unidades departamentais;
  • possuem as seguintes regras:
    •  x - letra para identificação;
    • nome - nome da entidade : Ex: Clientes, Sistema Acesso, Banco, etc.
  • Como descobrir entidades externas ?
  •  No mínimo temos duas : quem usa o sistema (cliente) e quem opera o sistema (departamento A)

- Fluxo de dados

  • São o Meio por onde os dados e as informações trafegam;
  • Regras:
    • nome : nome do dado. Ex: Pedido, Nota Fiscal, Produto, Item,
    • arg: argumento de acesso  a um depósito . Ex: Cgc, CPF, CEP, código , matricula, Nome, etc...

    Sempre envolvem processos não sendo possível o fluxo de entidade para entidade, entidade para depósito de dados, depósito de dados para  depósito de dados para

- Processos

  • Transformam fluxos de dados em uma atividade;
  • são módulos do sistema;
  • Regras:
    • n : número de referência do processo. Ex: 0 , 1,2,3,, 1.1, 1.2
    • função : descreve o processo no verbo infinitivo. Ex: Cadastrar Cliente, Gerar Arquivo, Imprimir Relatório, etc.
    • loc : local físico onde se desenvolve o processo. Ex: Almoxarifado; Contabilidade, etc.

    Dica : Para descobrir um processo relate os requisitos do sistema. (Cadastrar Cliente, Efetuar Logon, etc.)

- Depósito de Dados

  • São locais de armazenamento de dados
  • São arquivos físicos
  • Regras:
    • Dn : número do depósito. Ex: 0,1,2,3, D1/1, D1/2
    • nome : nome do depósito. Ex: Clientes, Produtos, Contas, etc.

      Para tornar mais fácil identificar DD leve em conta dois tipos de arquivos :  Cadastral e de Movimento ( Movimento de Itens, etc.)

Abaixo temos a figura que representação da dinâmica lógica de um D.F.D :

Vamos agora ver como podemos construir um diagrama D.F.D :

Sugestão para as etapas de elaboração de um D.F.D:

Para ilustrar vamos mostrar um D.F.D de um sistema para vídeo locadora (resumido):

Veja a continuação deste artigo em : Diagramação de software - D.F.D - II

Referências:


José Carlos Macoratti